Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias - UFPI > Comunicado Nº 005/2012 da Comissão Eleitoral
Início do conteúdo da página

PRAEC unifica bolsas de incentivo à permanência: BIAMA, BIAE e BIAF passam a compor a BIASE

Imprimir
Publicado: Quinta, 08 de Fevereiro de 2018, 14h54

A Universidade Federal do Piauí (UFPI), por meio da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis e Comunitários (PRAEC), atende mais de 2.400 estudantes com bolsas de assistência estudantil e incentivo à permanência na universidade. Os benefícios são exclusivos para estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica, conforme critérios estabelecidos no Decreto nº 7.234/2010 e nos editais da PRAEC, divulgados na página da UFPI e da Pró-Reitoria.

Para melhor acompanhamento dos estudantes beneficiados e fortalecimento das ações de assistência estudantil, a PRAEC decidiu unificar três modalidades de bolsa em uma só. As Bolsas de Incentivo a Atividades Multiculturais e Acadêmicas (BIAMA), de Incentivo a Atividades Esportivas (BIAE) e de Incentivo a Ações Afirmativas (BIAF) foram unificadas na Bolsa de Incentivo a Atividades Socioculturais e Esportivas (BIASE). As Bolsas de Apoio Estudantil (BAE), de Inclusão Social (BINCS e BINCS - ES) e de Permanência para Quilombolas e Indígenas (Programa de Bolsa Permanência do MEC) continuam com a mesma terminologia e critérios de seleção.

07.02.2018 ENTREVISTA PRAEC. PROFA. ADRIANA. MUDANÇA DAS BOLSAS DA PRAEC 220180208144941

“Unificamos a terminologia e a definição e modificamos os critérios para seleção, passando a exigir um plano de atividades definido previamente, tomando como base o modelo da BIAMA. Continuamos atendendo aos critérios do Programa Nacional de Assistência Estudantil (PNAES), mas agora todos os estudantes precisam estar agregados a um projeto de atividades relacionadas à assistência estudantil, e que estejam em consonância com a sua área de formação, o que nem sempre acontecia, já que estudantes de outros cursos eram inseridos em projetos diferentes da sua área de formação, o que não é interessante. A BIASE continua sendo para estudante em situação de vulnerabilidade socioeconômica, se tiverem agravantes sociais, eles são considerados. Chamamos isso de reorganização, não de extinção, nem de exclusão”, explicou a Pró-Reitora da PRAEC, Adriana de Azevedo Paiva.

O recurso destinado para os benefícios de permanência em 2018 é o mesmo de 2017, portanto, o quantitativo de bolsas será mantido, e como as bolsas são passadas de um estudante para outro, em algumas modalidades pode aumentar ou diminuir a quantidade disponível.

“O número de bolsas BIASE será de 80 em Teresina, por exemplo, e aumentamos o número de bolsas BAE na primeira chamada desse ano. Ano passado, foram 107 bolsas e neste ano foram 200 bolsas BAE só para Teresina. Mas na realidade, esse aumento é virtual, pois o quantitativo não muda, já que o recurso do PNAES não mudou. O que ocorre é que mais alunos se desligaram, formaram ou terminou o prazo que eles tem direito à bolsa (24 meses), acabou sobrando mais bolsas para a oferta”, esclareceu a Pró-Reitora.

Ao todo, foram ofertadas 140 bolsas BIASE para os cinco campi da UFPI em 2018, assim distribuídas: 80 para o Campus Ministro Petrônio Portella, em Teresina; 20 para o Campus Ministro Reis Velloso, em Parnaíba; 15 para o Campus Senador Helvídio Nunes de Barros, em Picos; 15 para o Campus Professora Cinobelina Elvas, em Bom Jesus; e 10 para o Campus Amílcar Ferreira Sobral, em Floriano.

Confira o edital completo aqui.  

Fim do conteúdo da página